VOCÊ TEM VOCAÇÃO?

 

Quantas vezes alguém já lhe perguntou isto e, você ficou simplesmente mudo? Ou talvez tenha dado aquela resposta na ponta da língua, mas... Algum tempo depois não teve mais tanta certeza assim. Pois é, isso é o que nós, os psicólogos, chamamos de mito ou padrão de crenças, você aprendeu que deveria ser assim e assim é...

Segundo Silvio Bock, “o que diferencia  o homem de todos os outros animais é exatamente a sua não-especialização (biológica) para nenhuma atividade específica”. O que ele quer dizer é que se uma formiga constrói apenas formigueiros e carrega folhas, conseqüentemente, ela jamais se especializará na produção de mel, por exemplo, mas o ser humano, não!

Somos diferentes. Aprendemos de acordo com as nossas necessidades e com isto, nos tornamos capazes de adaptar as mais adversas condições de trabalho, para executar um determinado serviço que se faz necessário naquele momento exato de nossas vidas, independente do nosso aparato biológico, pois possuímos inteligência e criatividade.

O conceito de vocação pode se transformar em um estigma ou rótulo na vida de qualquer pessoa. De acordo com as condições sócio-históricas e culturais, podemos apresentar uma tendência para uma determinada área ou para outra, de acordo com os estímulos que recebemos desde o nascimento, assim como a alimentação, os estudos, etc.

Mas a idéia de uma vocação única estimula as desigualdades sociais, concordando que os pobres ou as minorias estão destinadas aos trabalhos mais humildes e braçais, enquanto os ricos tem uma vocação inata para o comando e os trabalhos de cunho mais intelectual. Mitos que perduram desde a revolução industrial e que reforçam a concepção das diferenças individuais para atender aos interesses econômicos dominantes.

Determinismos sociais que criam estereótipos que mascaram a realidade psicossocial com afirmações que dizem que os negros nasceram para jogar futebol, os portugueses para abrir padarias ou  que os anões são para trabalhar em circos. Pseudo-verdades que infelizmente são repetidas o tempo todo e acabam ganhando status de verdade, criando empecilhos para as novas gerações que se vêem restritos a um destino inevitável...

Ninguém nasce com um talento único, mesmo os grandes gênios, demonstraram que podemos ter uma maior facilidade para algumas áreas da atuação profissional, mas também teremos potencial de sobra para desenvolver outras “competências” que foram menos estimuladas no início de nossas vidas, se assim desejamos e nos esforçamos o suficiente para isto... É claro!

 Pesquisas realizadas nos Estados Unidos, com o auxílio da visualização de imagens através da ressonância magnética, demonstraram que ao estimular novas áreas no córtex cerebral com atividades desconhecidas para o sujeito, somos altamente beneficiados com a produção de novas sinapses neuronais, o que estimula a memória de curto e longo prazo, além de facilitar todas as outras funções cognitivas.

Por isto, sempre que perguntarem qual é a sua vocação, diga que o infinito é o seu limite... quem sabe assim, iremos parar de criar barreiras para o nosso potencial. Tudo o que você precisa de verdade, é apenas desejar algo profundamente e lutar para superar todas as dificuldades que irão surgir no caminho.

 Pare um pouco e olhe a sua volta... Veja quantas pessoas venceram a falta de vocação para vencer na vida. Qual foi o segredo delas? Simples, força de vontade e um belo sonho transformado em ideal e... mais nada!

Aliás, como tem andado os seus sonhos ultimamente?

       Dr. Marcos Calmon

CRP 05 / 32.619

  [ VOLTAR AO INÍCIO DESTA PÁGINA ]

voltar para o menu

Site desenvolvido e criado por Image Virtual Copyright© 2006. Todos os direitos reservados