A PERDA DA REAÇÃO

       

 

    

     No mundo dos negócios, “time is money”, e o tempo de reação poderá fazer toda a diferença entre o sucesso e o fracasso do empreendimento. O problema é que algumas vezes parecemos estar abatidos, desnorteados e sem confiança em nós mesmos. É como se um grande vazio, se abatesse sobre alguém, que antes fosse altivo, dinâmico e competente. O que foi que houve?

     Para efeito de análise, existe um fenômeno que está sendo pesquisado, chamado “síndrome de PAP”, que no francês significa “perda da auto-ativação psíquica”. Tratando-se da perda efetiva da motivação, da capacidade de tomar decisões, com uma etiologia biológica, reforçada por danos neurológicos.

     Evidentemente, este é um caso extremo, onde o indivíduo poderá ficar horas ou dias nesta condição de desinteresse, caso não haja estímulos externos. A boa notícia é que este distúrbio é uma síndrome rara, mas que nos serve como referência para os níveis de apatia patológica que o ser humano pode alcançar.

     É natural que nos embates da vida, nem sempre poderemos sair vitoriosos, porém, existem perdas significativas, que tem uma forte repercussão em nossas vidas intra-psíquicas. Capazes de alterar toda nossa relação com o mundo exterior, podendo levar uma pessoa a sofrer novas e enormes perdas consecutivamente, caso não receba auxílio imediatamente.

     São situações vivenciais, que por algum motivo foram introjetadas no “self” e que, para outras pessoas não representariam nada. Mas, para quem sofre, faz toda a diferença entre estar saudável ou não. O problema é que estas pessoas são consideradas pelos seus chefes ou colegas de trabalho, como inaptas e preguiçosas. Isto ocorre, porque estas mesmas pessoas estão acostumadas com laudos médicos comprovados através de laboratórios ou com dados visíveis, tais como uma muleta, um gesso, etc.

     Infelizmente, isto não é verdade. Segundo a O.M.S. (Organização Mundial de Saúde) 80% dos comprometimentos de saúde, são oriundos de causas psicológicas, ou seja, poderão, mais tarde, comprometer biologicamente órgãos e vísceras, por falta de conhecimentos dos pacientes em geral, que temem o vírus, mas não sabem que o sistema imunológico pode ser afetado pelos pensamentos do sujeito.

     Erroneamente, um simples e aparentemente inofensivo estado de ansiedade, não oferece grandes riscos para a saúde. Mas, já se sabe que o câncer e inúmeras patologias são desencadeadas pela sua ação nefasta no organismo psíquico e físico.

     A perda da reação em seus diversos níveis de apresentação é um sintoma que nega a existência no mundo, é uma forma adaptada de suicídio lento, em outras palavras, é uma desistência da vida.

     Às vezes, uma palavra de ânimo ou um simples reconhecimento da chefia poderá operar verdadeiros milagres para algumas pessoas. Porém, para outras, será preciso mais um pouco do que isto, pois os traumas, segundo Freud, permanecem recalcados por muito tempo, até que voltem a consciência, produzindo algum tipo de sintoma somático ou psíquico.

     A Gestalt-Terapia sabe que o sintoma neurótico foi sem dúvida nenhuma, a melhor forma que o sujeito encontrou para continuar vivendo, mas que tipo de vida seria esta? É preciso um novo olhar de fora para dentro, que o resgate desta inércia e o devolva para uma conscientização do todo, o qual pertence, que são as suas partes em um jogo alternado entre figura e fundo.

     Enquanto houver tempo para reagir, enquanto houver uma possibilidade mínima de reação para uma escolha saudável, sempre haverá esperanças para uma existência mais consciente e preparada para resistir aos embates naturais da vida.

Dr. Marcos Calmon

CRP 05 / 32.619

  [ VOLTAR AO INÍCIO DESTA PÁGINA ]

voltar para o menu

Site desenvolvido e criado por Image Virtual Copyright© 2006. Todos os direitos reservados