O QUE É

AUTO-PERDÃO?

 

Você é capaz de aceitar-se exatamente como é? Sim ou não? Não adianta tentar enrolar com fugas escorregadias ou processos de evitação do contato consigo mesmo. Não precisa se envergonhar ao olhar neste espelho mágico da vida e, descobrir que algumas coisas não estão tão bem assim, dentro de si. Lembre-se que você é único! Não há um clone seu andando por aí, fazendo-se passar pela sua pessoa. Poderá até se parecer externamente, mas internamente... Não haverá dois fenômenos idênticos dessa consciência maravilhosa que é a sua experiência. Por isto, valorize-se mais perdoando-se pacientemente nesses processos inacabados que, timidamente, acabastes de perceber num lampejo deste simples olhar.

Saberá mesmo, dizer qual foi o sentimento percebido? Talvez, Inferioridade? Ou inveja? Menos-valia? Raiva? Falta de esperança? Medo do desconhecido? Façamos ainda, uma força maior e, localize dentro de si mesmo, tudo aquilo que o torna semelhante a um vulcão em atividade. Não tenha medo! Entregue-se completamente a esta experiência excepcional e que, você pode fazer neste instante. Por quê que deixar para depois?

O auto-perdão é uma antiga técnica, muito soberana na transformação destes vulcões ativos em inofensivas crateras extintas, é altamente capaz de nos aliviar do calor calcinante dos sentimentos esquecidos na fornalha da vaidade humana.

Talvez tu sejas apenas alguém que reclama muito da vida que leva, sem se dar conta que muitos adorariam ser apenas a metade do que és hoje. Acredite, isto é real! Quantas vezes já se deu ao direito de meditar sobre si mesmo? Sobre os seus sentimentos mais profundos, sobre as suas realizações que fizeram toda a diferença entre o bem ou o mal, e daí? Qual é a sua verdadeira capacidade de se aceitar responsavelmente como é, para eventualmente, poder lançar-se em novos vôos na sua vida cheia de compromissos, poderes e propriedades materiais e não-materiais também.

O auto-perdão nos implica em uma idéia de estarmos sempre ganhando e perdendo alguma coisa na vida, sem que com isto, não hajam necessariamente perdedores ou vencedores, mas... o que há, são os discípulos da vida! Aprendizes semelhantes ao rio que contorna todos os obstáculos para chegar triunfante ao oceano das possibilidades. E, tal como o rio, ganhamos forças nas quedas, aliás precisamos delas para criar coragem e superar os nossos desafios.

Segundo a Gestalt-Terapia, saber construir o auto-perdão, é o mesmo que livrar-se dos “deverismos” vivenciais, onde estamos sempre acreditando que devemos ser ou fazer alguma coisa, tal como um rótulo pré-concebido, que nos faz ser algo que não somos ou pelo menos, não precisaríamos ser. Quem não sabe se perdoar, vive dizendo que devia fazer isto ou aquilo, mas lá no fundo, não deve nada a ninguém, é apenas um insaciável credor de si mesmo.

Se você é uma dessas pessoas que vivem por aí, dizendo que são perfeccionistas, preste muito atenção nestas simples palavras, pois a perfeição não existe, mas é a máscara perfeita dos compulsivos em atingir o inatingível, logo se transformam nos eternos “auto-torturadores”.

Retirar esta máscara obsoleta é criar no seu caminho novas oportunidades para alcançar novos estágios de compreensão da vida que se manifesta dentro de nós. Perdoar não é simplesmente esquecer, mas lembrar-se que todos os dias o sol brilha novamente para todos que tem coragem bastante para sair de suas “camas-esconderijos” e, permitir-se em uma nova chance de escolher o melhor para si e para todos a sua volta.

   Dr. Marcos Calmon

CRP 05 / 32.619

  [ VOLTAR AO INÍCIO DESTA PÁGINA ]

voltar para o menu

Site desenvolvido e criado por Image Virtual Copyright© 2006. Todos os direitos reservados