TEMPO DE NATAL

 

No hemisfério norte é frio. Mas... Abaixo da linha do equador, o calor está apenas começando...

     Porém, quando o assunto é Natal, a temperatura é o que menos importa para a grande maioria das pessoas no mundo todo. O comércio atinge o ápice das suas vendas anuais, com artigos especiais para esta ocasião. Nesta época, não importa se o sujeito é criança, adulto ou idoso, muito menos sexo ou classe social, todos parecem estar mesmo, é contagiados pela magia do Natal.

     A ontológica figura do papai-noel (ainda que sua lenda seja muito antiga), ele só foi inventado como conhecemos, na cultura norte-americana, por volta do séc. XIX, assim como o hábito de enviar cartões de Natal, foi uma prosaica idéia, daquelas muito bem sucedidas, que os ingleses tiveram neste mesmo período. A árvore de natal? Ah é claro! Era um costume dos países germânicos, que se estendeu por toda a Europa e as Américas. Mas, você deve estar se perguntando, e as músicas natalinas? Surgiram do nada? É claro que não, elas pertenciam aos costumes dos povos antigos que, adoravam cantar em festividades, logo, vieram às músicas natalinas folclóricas e sacras, resgatando antigos hábitos sociais na comemoração do nascimento do menino Jesus.

Conclusão: O Natal moderno é uma sopa cultural, onde temos mesclado o cristianismo e o paganismo das tradições culturais.

     Entretanto, o mais interessante, é que esse tal espírito natalino, parece mesmo contagiar a todos, pois, segundo as estatísticas obtidas neste período pelos institutos de pesquisas, há um sensível decréscimo dos percentuais da violência urbana. O fato é que as pessoas parecem esboçar um sorriso mais generoso, a maioria pensa em quantos presentes poderá dar ou talvez, em se recolher para uma boa oração ou ter uma oportuna reflexão sobre a sua própria vida.

     Vocês já repararam na decoração de Natal? Hoje em dia, não é apenas o comércio que se preocupa em apresentar uma fachada mais reluzente, Não! As residências e as ruas da cidade, também se metamorfoseiam com suas lâmpadas seqüenciais, em uma imensa  e festiva vitrine de Natal.

     Tudo isto é re-significado a cada ano. Pois, acabamos criando juntos, um momento mágico, único, onde associamos a fraternidade, o amor, a caridade, a esperança e o verdadeiro espírito ecumênico, que nos une a todos como seres humanos.

     Acho que todos os dias deveriam ser dia de Natal! Já pensou nisto? Pessoas pensando em pessoas e mais nada. Até as guerras costumam fazer uma trégua neste dia, que tal uma “tréguazinha eterna?”. Políticos pensando no bem comum, os pais respeitando os filhos e vice-versa, os homens respeitando os direitos da mulher, os brancos convivendo sem discriminar os negros. A turma da terceira idade recebendo o tratamento fraterno que merece dos mais novos, e as crianças vivendo uma infância feliz, isto não seria maravilhoso?

     Acho que me empolguei um pouco, eu sei...Mas, ainda somos livres para sonhar, ou não? Talvez você ainda não tenha sonhado tanto quanto eu, (Que pena!). Mas o Natal voltou mesmo foi para isto, foi para nos perguntar: O que você tem feito? Quantas lágrimas você andou secando? Qual foi a sua última contribuição?

     Se por acaso, ao responder uma dessas perguntas, lhe sobreveio um vazio no peito ou um nó na garganta, não tem problema! O Natal voltou renovando as esperanças no diálogo, nas negociações, na diplomacia, naquela conversa bem aplicada, compreende? Pois, sem a fala, partimos para o ato, para o confronto, para a guerra.

     Mas hoje é tempo de Natal. Vale a pena recomeçar tudo de novo. Hoje é tempo de Natal. Diga eu te amo para a sua namorada ou esposa! Hoje é tempo de Natal. Diga que ama os seus filhos. Hoje é tempo de Natal. Fale tudo aquilo que vier no seu peito, enquanto puder haver natais em nossas vidas e, principalmente, em nossos corações.

     Tenha um Feliz Natal!

Dr. Marcos Calmon

CRP 05 / 32.619

  [ VOLTAR AO INÍCIO DESTA PÁGINA ]

voltar para o menu

Site desenvolvido e criado por Image Virtual Copyright© 2006. Todos os direitos reservados