QUEM TEM MEDO DO "BICHO-PAPÃO"?

 

Muita gente boa me procura através de e-mails ou pessoalmente, só para perguntar se o medo é uma doença psíquica e se pode ser tratado. Ora, precisamos parar com isto! O medo é uma reação protetora e saudável de todo ser humano. Se alguma não vai bem ou nos ameaça de alguma forma, é perfeitamente saudável sentir medo. O único problema é quando tudo aquilo que nos acontece, detona uma espécie de alarme sintomático na forma do medo, paralisando-nos em nosso dia-a-dia. Compreendeu? O Medo da violência urbana, de carros correndo, dos cães bravos, das doenças perigosas, entre tantas outras coisas em uma lista infinita, é algo esperado e sadio, que aciona um gatilho atávico, mais conhecido como luta ou fuga (facilmente observado nos animais em geral).

Na verdade, lutar pode ser uma reação positiva, não quero dizer com isso que fugir seja uma reação ruim, o que importa é descobrir os nossos próprios limites. O medo não é uma reação patológica, mas é uma proteção e, sem dúvida alguma, nos remete ao conceito de autopreservação.

Conscientemente, nada disto pode ocorrer naturalmente, quando estamos acorrentados pelo medo irreal e ele se transforma, por conta da nossa própria consciência, no temido pânico. Daí, o sujeito não foge e não enfrenta seus “fantasmas”, na verdade, fica hesitante e descontrolado.

Já o inconsciente, não faz a menor diferença entre o que é fantasia da realidade. Acredite! A sua mente não sabe distinguir o que é passado e presente ou o que é realidade da fantasia. O pensamento que você está presentificando neste exato momento, é provavelmente, o que a sua mente irá acreditar como algo real na sua vida, após algumas repetições padrão deste mesmo pensamento por um período relativamente curto de tempo.

Os perigos próximos e reais são os seus temores, que podem surgir em função das associações que você operou durante a vida toda. Se alguém sofre um choque (estímulo) ao abrir a geladeira, conseqüentemente, como resposta, sentirá o medo de tocar na maçaneta da porta. É uma associação básica que a mente humana produz naturalmente.

O inconsciente não tem passado ou futuro. É como se tudo que você está vivendo, estivesse acontecendo no momento presente. O medo de que você não vai conseguir o que quer, é algo trivial e afeta diretamente a sua auto-estima, detonando sua autoconfiança.

Logo, um indivíduo que não se comporta desta forma, ou seja, com o medo de não conseguir algo, ou seja, ao invés disto, acredita em sua capacidade, acaba conquistando uma chance muito maior de reverter todo esse quadro de fracasso na sua vida vacilante.

Vejo muitas pessoas dizendo que não conseguem isto ou aquilo, ameaçam o tempo todo que irão desistir porque “sabem” que não irão conseguir. Certamente estamos falando de pessoas que estão com a sua auto-estima em baixa e que se amam muito pouco. Buscam soluções fáceis do tipo “pílulas mágicas” para os seus sintomas. Desejam algo inalcançável, como ter um par de asas (ver mito de Ícaro), assim tudo fica bem mais fácil na hora de justificar para si mesmo, dizendo que a culpa dos seus fracassos foi do “medo”. Pura projeção!

Descobrir o que o medo significa para você e o que ele representa em nível de símbolos, já é uma boa tarefa para mudar este quadro caótico. Imagine agora, o medo que você sente, descubra o que há além dele... Talvez uma ajuda profissional seja fundamental neste momento de crescimento pessoal, que o fará dar um salto de dez ou mais anos à sua frente, otimizando a sua vida, que poderá estar estagnada há muito tempo... em função dos medos internos assombrando seus projetos de vida.

Chegou à hora da sua verdade e, encarar o “bicho-papão” de frente!

Ou você destrói o medo ou o medo destruirá você... Qual é a sua decisão?

 

       Dr. Marcos Calmon

CRP 05 / 32.619

  [ VOLTAR AO INÍCIO DESTA PÁGINA ]

voltar para o menu

Site desenvolvido e criado por Image Virtual Copyright© 2006. Todos os direitos reservados